Metodologia 5+10

O Minidicionário Aurélio da Língua Portuguesa define metodologia como sendo “o conjunto de métodos, regras e postulados utilizados em determinada disciplina e sua aplicação”.

“Regras” soou restritivo demais para mim, por isso, durante a elaboração da minha metodologia, cuidei para que houvesse somente 5 regras  verdadeiras e 10 orientações flexíveis.

Embora a metodologia esteja adequada ao meu perfil, eu espero, sinceramente, que outros escritores iniciantes possam tirar algo de proveitoso dela.

Inspirado pelas dicas de autores famosos publicadas pelo jornal on-line Guardian, eu comecei a planejar uma metodologia de escrita que se adaptasse ao meu atual estilo de vida. Depois de ler e reler o artigo duplo do jornal, eu tinha em mãos 86 dicas (não regras, note-se) com as quais havia me identificado – algumas interessantes, outras inusitadas (veja o quadro no final do post).

Uma lista com 86 itens pode ser um pouco assustadora (ou mesmo desmotivadora), por isso decidir reduzi-la a dez tópicos que cobrissem o fundamental para o escritor iniciante. Logo percebi que estes itens poderiam definir bem minha metodologia, mas não ter qualquer valia para outros aprendizes. Assim, eu adicionei cinco regras de ouro que considero ser o fundamental do fundamental para qualquer pretenso escritor.

Apresento-lhes a Metodologia 5+10.

5 Regras de Ouro

Quanto mais cedo você começar a ler melhor…

  1. Quer escrever? Então leia: todo escritor é, antes de tudo, um leitor. Ler te ajuda a ampliar o vocabulário, abrir a mente para outrosestilos e formas de narrativa, e a se divertir com outras histórias e mundos. Mas seja criterioso com o que lê, pois, segundo P.D. James (Children of Men), “a má escrita é contagiosa”.
  2. Quer escrever? Então escreva: não fique só na vontade. Escreva sobre o mundo ao seu redor, sobre os seus desejos, opiniões, fantasias, enfim, sobre o que quiser ou sentir necessidade de escrever! “Continue despejando palavras na página”, aconselhou Anne Enright (O Encontro).
  3. Escrever é reescrever: não tenha dó de cortar as palavras que pouco acrescentarem, os trechos com má sonoridade (ver regra 4), enfim, tudo o que lhe parecer ruim. É recomendado deixar o texto descansar por um tempo antes de reescrevê-lo.
  4. Ouça seu texto: ler o que você escreveu em voz alta ajuda a perceber os problemas no ritmo da narrativa.
  5. Tenha disciplina: não fique à mercê da inspiração e sempre termine o que começar, mesmo que o resultado final não seja bom. Defina uma metodologia e a siga. Pretende escrever diariamente? Estabeleça uma meta: escreva uma página ou 500 palavras por dia, por exemplo. Jeanette Winterson (A Guardiã do Farol) afirma que a “disciplina permite a liberdade criativa”.

10 Orientações

  1. Escolha seu espaço e tempo:estabeleça um local e um horário ideais para escrever e não deixe ninguém mais interferir. Tranque a porta, desligue o celular, feche as janelas ecortinas se for preciso (não se esqueça de ligar o ventilador ou ar-condicionado). E desligue a Internet: a grande rede é a pior inimiga da concentração necessária a um escritor.

    Onde George Lucas escreveu a nova trilogia de Star Wars

  2. Faça uma tempestade de idéias: tente ter uma visão geral, um esboço da história que pretende contar. Leonel Caldela (Trilogia Tormenta) afirmou, recentemente, num podcast que costuma ter toda a trama delineada na cabeça ou em anotações; tendo isso como base, ele esmiúça os acontecimentos em tópicos e detalha a história durante a escrita. Sugerida por Michael Moorcok (Elric of Melniboné Saga), a divisão em três partes – a introdução dos personagens e da trama, desenvolvimento dos mesmos, e conclusão, onde os pontos são amarrados e os mistérios resolvidos – talvez seja um facilitador para este processo.
  3. Tenha um caderninho sempre à mão: ou guardanapo, smartphone, netbook, celular, enfim, qualquer coisa que lhe permita fazer anotações rápidas. Nunca se sabe quando uma boa idéia irá surgir e é sempre bom “manter o poço de idéias cheio”, disse Michael Morpurgo (Eu Acredito em Unicórnio).
  4. Pesquisar é preciso: a menos que você domine completamente o assunto sobre o qual escreverá, reserve alguns dias para pesquisar sobre o mesmo. Tome cuidado com suas fontes, especialmente quando utilizar a Internet e nunca, jamais, pesquise enquanto estiver escrevendo.
  5. Encare o bloqueio: sentir-se travado na hora de escrever é comum, mas nem pense em dar uma volta; sente-se, respire fundo e reveja o que escreveu, refazendo todos os passos a fim de descobrir o que deu errado. Se você ainda não escreveu nada, vá escrever outra coisa. Lembre-se sempre das regras de ouro 2 e 3: despeje palavras na página, depois reescreva tudo. Lembre também da regra de ouro 5: disciplina sempre.
  6. Não sobrecarregue a escrita: evite parágrafos longos demais, frases redundantes, adjetivos e advérbios desnecessários. Evite palavras difíceis quando as simples bastam.
  7. Cuidado com as descrições: elas são difíceis e refletem uma opinião sobre as coisas. A descrição do ponto de vista implícito do personagem é sempre mais rica que a do “olho de deus”, como alega Hilary Mantel (Além da Escuridão).  Não exagere nas descrições: deixe espaço para o leitor imaginar os personagens, lugares, clima. Muita descrição quebra o ritmo da leitura.
  8. Não olhe para trás: retome a escrita sempre do ponto onde parou e siga em frente. Quando tiver terminado, afaste-se do texto por algum tempo e, somente então, volte ao início e avalie a necessidade de reescrever.
  9. Faça um Test-Read: quando acreditar que seu texto está pronto, peça a duas ou três pessoas para lê-lo. Não escolha parentes nem amigos, a menos que estes tenham senso crítico. Outra alternativa é criar um blog na Internet e disponibilizar seus textos, mas saiba discernir as críticas pertinentes – Neil Gaiman (Sandman) diz que quando as pessoas dizem que “algo está errado ou não funciona para elas, estas estão quase sempre certas. Quando te dizem exatamente o que acham que está errado e como consertar, elas estão quase sempre erradas”. Algo importante: antes de disponibilizar trabalhos originais para avaliação alheia, é bom sempre ter o cuidado de protegê-los, registrando-os.
  10. Confie no leitor: não caia na armadilha de tentar esmiuçar tudo. Como Stephen King (Duma Key, série A Torre Negra) recomenda, não enrole o leitor e “vá direto ao ponto ou tente chegar logo ao ponto”. Não gaste tempo demais explicando o pano de fundo da história ou do mundo. Sobre isso, Hilary Mantel aconselha a concentrar-se no ponto de mudança da narrativa, já que “as pessoas não reparam no ambiente em que vivem e na sua rotina diária” – quando os personagens vão para outros lugares ou as coisas mudam ao seu redor é que o escritor deve preencher os detalhes do mundo ao redor deles.

Antes de encerrar é importante dizer o seguinte: a metodologia não deve ser algo rígido, ela deve se adequar ao seu perfil. Caso algo não funcione para você, simplesmente mude por algo que funcione!

Menções Honrosas

Algumas dicas publicadas no Guardian são bem inusitadas. Ei-las:

  1. “Não beba e escreva ao mesmo tempo.”  (Richard Ford)
  2. “Nada de álcool, sexo ou drogas enquanto estiver trabalhando.” (Colm Tóibín)
  3. “Seja seu próprio editor/crítico. Simpático, mas impiedoso!” (Joyce Carol Oates)
  4. “Se tudo mais falhar, há (…) São Francis de Sales, o santo patrono dos escritores (…)”  (Sarah Waters)

Para saber mais:

  1. Os primeiros passos da jornada: onde devaneio sobre o tempo, o desejo de escrever e dicas de escrita.
  2. Laboratório do Dr. Careca: ouça o podcast com dicas para escritores com J.M. Trevisan e Leonel Caldela.
  3. Guardian.co.uk: veja a primeira parte do artigo contendo dicas de autores conceituados (em inglês).

Continue a escrever aqui.

22 respostas para Metodologia 5+10

  1. Ben Oliveira disse:

    Dicas bem legais!

    Algumas coisas são meio óbvias, enquanto outras ajudam a ressaltar o que nós precisamos aprender.

    • T.K. Pereira disse:

      Ben,

      De fato, algumas dicas são bem evidentes, mas a frequência com que relego estas é surpreendente. Não à toa elaborei estas orientações-lembretes.😉

      Abraço.

  2. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  3. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  4. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  5. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  6. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  7. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  8. […] Metodologia 5+10: 5 regras e 10 orientações flexíveis que busco seguir em meu caminho para tornar-me um escritor. […]

  9. Diogo disse:

    Olá Escriba

    Gostei muito do seu projeto e sinto as mesmas dificuldades, principalmente com relação aos compromissos profissionais e pessoais. Eu gostei muito do seu blog, mas só agora percebi que esta desligado a algum tempo. Alguma chance de retomá-lo?

    Eu segui o seu exemplo e fui até o Guardian e estou a recolher aquilo que gosto mais daqueles escritores. Espero conseguir a minha metodologia em breve.

    Até lá espero que você também tenha retomado esta paixão.
    Abraço

    • Escriba Encapuzado disse:

      Diogo,

      De fato, eu tenho estado (bem) afastado do blog, mas nunca de meu amado hobby.

      Tenho escrito bastante, como sempre, ainda que nem sempre eu escreva os textos que realmente gostaria de escrever.
      Aos poucos vou me organizando para tentar retornar a atualizar este meu espaço.

      Obrigado pelos elogios.
      Abraço.

  10. Dan disse:

    Obrigado pelo conselho, não sou escritor mas gosto de escrever algumas vezes e como estou pra abrir um blog estas dicas serão muito bem vindas.

    Pra não deixar faltar inspiração gosto de pôr uma música adequada ao tema ou que desperte emoções pertinentes enquanto escrevo, de preferência instrumental ou numa lingua desconhecida. Bem comigo funciona =)

    • Escriba Encapuzado disse:

      Dan,

      Infelizmente, a música mais me atrapalha do que ajuda. Para concentrar-me na escrita eu preciso do mais absoluto silêncio ou de sons naturais, como uma brisa soprando ou passáros cantando.

      Fico feliz que as dicas compartilhadas neste meu espaço lhe tenham sido utéis.

      Percebi que seu comentário é de setembro do ano passado… eu estou afastado do blog a mais tempo do que pensava. Acaso seu blog já está on-line? Se estiver, não deixe de compartilhar o endereço.

      Abraço e sucesso.

  11. Muito bom esse post, Escriba!
    Eu luto diariamente pra seguir a orientação 1, hehe.
    Hoje foi minha primeira visita ao seu blog, mas pretendo voltar mais vezes.
    Até!

    • Escriba Encapuzado disse:

      Paulo,

      Fico feliz que tenha gostado. Como você deve ter notado, eu tenho estado bem afastado do blog.

      Estou tentando retormar as atividades neste espaço e espero poder oferecer outros artigos de qualidade no futuro.

      Abraço.

  12. Jaco disse:

    Muito útil seu blog escriba. Para mim, o podcast do Trevisan e do Caldela também foi muito proveitoso. Visitarei seu blog com mais frequência, e peço a gentileza de visitar (e, se possível, ajudar a divulgar) o meu http://contosderpg.blogspot.com

    Lá você encontra contos, todos eles baseados em RPG.
    Desde já agradeço, nos vemos lá.

  13. Caro Escriba:
    Muito bom este post, profissional mesmo!

    Seguindo sua sugestão, publiquei um post em meu blog falando também sobre este assunto, dê uma conferida. (http://dicasdoalexandrelobao.blogspot.com/)

    Saúde, paz e sucesso!

  14. BlackRose disse:

    Sou a mesma pessoa xD Só que, por razões que desconheço, o primeiro comentário foi eliminado poucos minutos depois de que eu escrevesse, então voltei a colocarlo com outro Nick. Se quiser, apague o primeiro comentario.

    Me alegro de ler um novo post por aqui, sempre resulta interessante ver o caminho que outros escritores estão tomando. Afinal, quem pode nos ensinar mais, do que nós mesmos?

    Abraço.

  15. BlackRose disse:

    Escriba, como vai?

    Bom post, um dos melhores assuntos á tratar para quem está começando a escrever. Algumas dessas regras são básicas mas é bom recordá-las uma vez mais, já que com o tempo acabamos esquecendo as bases.

    Como nota, aproveito para avisar que farei uma pequena menção ao seu blog no meu, dentro de algumas horas. Espero que não lhe importe.

    Saúde, e nos vemos😉

    • Escriba Encapuzado disse:

      Espera aí! O endereço do seu blogo é o mesmo do Riot?

      Fico feliz que tenha gostado do post. Sinta-se à vontade para mencionar meu humilde blog quando quiser. Boa sorte em sua jornada literária.

      Abraço

  16. Riot disse:

    Bem útil essa resenha de conselhos. As vezes acabamos esquecendo dos primeiros mandamentos (ler bastante, ter disciplina) e vale a pena lembrar.

    Por curiosidade, Escriba. E você, mudou ou pulou alguma das regras dessa metodologia?

    • Escriba Encapuzado disse:

      Riot,

      Elaborei esta metodologia considerando o meu perfil e até o momento a tenho seguido à risca. O difícil mesmo é conciliar minha paixão pela escrita com os compromissos profissionais e pessoais. Mas sigo tentando.

      Abraço