7 coisas que aprendi – por Alexandre Lobão

Em uma iniciativa conjunta* entre os blogs Escriba Encapuzado e Vida de Escritor, T.K. Pereira e Alexandre Lobão convidam escritores para compartilharem suas experiências com os colegas de profissão, destacando sete coisas que aprenderam até hoje.  Não interessa se você é iniciante ou veterano, se escreve poesias, contos, romances ou biografias, envie sua contribuição para esta série de artigos!

Neste post, com a palavra, o escritor convidado Alexandre Lobão.

O desafio de tentar escolher as sete coisas mais significativas que aprendi nestes quase vinte anos como escritor é mais do que grande, é instigante – como toda obra precisa ser.  Com certeza vou esquecer coisas importantes, mas acho que a essência desta série de artigos é justamente esta: ao convidar diversos autores, cada um trará sua contribuição, e pontos que eu deixar de fora com certeza serão cobertos pelos autores que virão.  Bem, a essência de um bom post é sua concisão, então vamos ao que interessa:

  1. No fundo, o sucesso ainda está associado a contar boas histórias. Muito se fala sobre quais estratégias de marketing fazem um livro vender mais, mas no fundo, se você não fizer sua parte, nem a mais perfeita campanha de marketing vai conseguir fazer suas vendas decolarem.

  2. Escrever é arte, mas também é técnica. Por favor, acabemos de vez com o mito de que aprender técnicas de escrita “engessa seu trabalho” ou “poda sua criatividade”! A menos, é claro, que você acredite que Michelangelo conseguiria fazer suas belas esculturas e pinturas sem estudar anatomia, ou que Beethoven nunca estudou música. Escrever é a soma de criatividade com ferramentas de escrita; se você não tem uma das duas asas, não vai voar direito nunca!

  3. Defina sua plataforma. Descubra quem é seu público-alvo, defina como você quer se mostrar para eles, trabalhe sobre isso lembrando sempre que o produto que você vende não é um livro, é você!

  4. Um livro só não adianta. Logo no início de carreira, em um bate papo com o escritor André Vianco, ele me aconselhou a escrever um livro por ano; pois só assim você se mantém nas livrarias e constrói uma base de leitores. Demorei alguns anos para levar isso a sério, mas hoje acredito que é um dos conselhos mais sábios que já ouvi.

  5. Monte uma proposta editorial para seu livro. As editoras sabem que, por mais que elas façam, a participação do autor na venda do livro é essencial.  Ao enviar um original para uma editora, mande também uma proposta não só apresentando o livro e seu currículo resumido de escritor, mas também a indicação das ações que você irá realizar para promover o livro. Editoras são negócios, e como livros são apostas, quanto mais você aumentar suas chances de sucesso, maior a chance de a editora querer contratá-lo!

  6. Encontre seu nicho e fique nele. Esse conselho eu ouvi de uma agente literária americana, e tem tudo a ver: não adianta escrever uma biografia, depois um livro de poesias, um romance para adultos e um livro infantil; desta forma você atinge 4 públicos diferentes, e apenas uma vez cada um. Mesmo grandes escritores, quando lançam uma obra de uma linha diferente da que se consagraram, vendem bem menos que sua média.

  7. O mais importante: Só há dois tipos de escritores: os que fazem sucesso, e os que desistem antes. Persistência é tudo nesta área, e você é quem escolhe que tipo de escritor você quer ser.

Sobre o autor

Alexandre Lobão é um dos escritores da Casa de Autores (www.CasaDeAutores.org), instituto criado para estimular a leitura no Brasil. Com uma produção eclética, publicou livros para diferentes faixas etárias, além de ter trabalhos publicados e premiados nas áreas de jogos de computador, quadrinhos e cinema.

Seus trabalhos podem ser conferidos em seu site oficial, em seu blog com dicas para escritores, ou ainda via twitter em @AlexandreLobao.

Veja a opinião de outros autores aqui e no Vida de Escritor!

* Projeto inspirado pela coluna “7 Things I’ve Learned So Far”, da revista Writer’s Digest.

Continue a escrever aqui.

7 respostas para 7 coisas que aprendi – por Alexandre Lobão

  1. […] Alexandre Lobão: o autor de O Nome da Águia e grande parceiro do blog e as 7 coisas que aprendeu como escritor. […]

  2. Roberto Klotz disse:

    Legal. Sempre é bom ler dicas de quem está no mercado. Sempre somamos algo à nossa bagagem.

    Achei valioso: “só há dois tipos de escritores: os que fazem sucesso, e os que desistem antes.”

    • T.K. Pereira disse:

      Roberto,

      De fato, a ideia desta série é justamente permitir que colegas escritores aprendam uns com os outros. Que bom que gostou.

      Notei que postou em seu blog seus próprios 7 tópicos. Gostei bastante de sua contribuição.

      Gostaria apenas de lhe pedir que faça uma referência à série iniciada por mim e pelo Alexandre Lobão de modo a auxiliar na divulgação das demais contribuições.

      Abraço,

  3. Eduardo disse:

    Muito bom, adorei, o site está de parabéns. São 7 dicas valiosas.

  4. L. K. Otero disse:

    Bacana a parceria. São conselhos úteis e interessantes para todos os envolvidos com escrita.