Li e Comento: Só poeira (Miniconto)

PenaPenaPenaPena

Saiba antes de ler: este post não é uma resenha, mas um apanhado de considerações breves suscitadas após a leitura do texto.

Escrito por Luiz Braz (pseudônimo de Nelson de Oliveira), Só Poeira é um criativo e divertido miniconto de ficção científica que integra a coletânea Pequena coleção de grandes horrores, obra inédita a ser lançada em março deste ano pela Terracota Editora.

Num futuro próximo, quatro irmãos desenvolvem o primeiro androide. Orgulhosos de sua obra, feita à exata semelhança do ser humano, eles anunciam sua criação e revelam que esta possui um mecanismo de autodefesa projetado para protegê-la em toda a sua perfeição. Anos mais tarde, porém, isso pode se revelar uma má decisão.

Escrito numa linguagem fácil e permeado pelo humor, o texto apresenta um desfecho que se pode supor, mas mesmo assim surpreende. A citação aos profetas me pareceu uma crítica religiosa velada. A escolha do nome dos irmãos foi uma ótima sacada: Karamazov, como na obra do russo Fiódor Dostoievski. Considerando-se a interpretação de seu significado – ‘aquele que com seu comportamento desacertado provoca a própria punição’* –, a escolha foi bem apropriada.

O conto está disponível aqui (site do jornal Cândido, publicado pela Biblioteca Pública do Paraná).

* Os irmãos Karamázov. Círculo do Livro. São Paulo, Brasil. Tradução de Natália Nunes e Oscar Mendes.

Para saber mais:

  1. Li e Comento: minhas breves considerações sobre contos, novelas e outras narrativas curtas.
  2. Cobra Norato: blog pessoal do escritor Luiz Braz.
  3. Lenda Urbana: blog do escritor Nelson de Oliveira que permanece desatualizado desde que este se tornou Luiz Braz.
  4. Terracota Editora: site oficial da editora.

Continue a escrever aqui.

Uma resposta para Li e Comento: Só poeira (Miniconto)

  1. […] Li e Comento – Só Poeira (Conto):  outro miniconto de ficção científica de Luiz Braz, lido e comentado por mim aqui no blog. […]