7 coisas que aprendi – por Nelson Magrini

Em uma iniciativa conjunta* entre os blogs Escriba Encapuzado e Vida de Escritor, T.K. Pereira e Alexandre Lobão convidam escritores para compartilharem suas experiências com os colegas de profissão, destacando sete coisas que aprenderam até hoje.  Não interessa se você é iniciante ou veterano, se escreve poesias, contos, romances ou biografias, envie sua contribuição para esta série de artigos!

Neste post, com a palavra, o experiente escritor Nelson Magrini.

  1. Você deve ter o seu estilo.

    Não importa o quanto cada um seja influenciado por este ou aquele autor. Mesmo que no início cada autor busque soar como seu ídolo, é importante desenvolver uma personalidade própria, aquele “seu jeito de contar uma história”. Essa será a sua marca como escritor e será ela que irá diferenciá-lo dos demais.

  2. Nunca deixe de evoluir.

    Qualquer escritor não pode ficar estagnado. Ele deve sempre evoluir, seja na escrita, nas ideias ou na Língua Portuguesa, bem como no trato e relacionamento com seu público leitor (imprescindível), editores e demais profissionais da área.

  3. Ser profissional sempre.

    Um autor deve não só mostrar, mas principalmente manter sempre uma postura profissional. Isso é levar a sério o próprio trabalho e certamente é um diferencial significativo. Seja profissional com as editoras; seja profissional com os leitores e, não menos importante, seja profissional consigo próprio

    Não é pelo fato de que um sem número de pessoas adoram seus livros que eles sejam ótimos. Seja crítico em relação ao próprio trabalho. Sempre há maneiras de melhorar.

  4. Não queira ser perfeito.

    Não é porque os três itens anteriores devem se perseguidos que você deva ser perfeito. Aliás, nunca o será. Sempre haverá leitores que não apreciarão aquilo que você escreve, é inevitável. Lembre-se do item 3: atitude profissional junto aos leitores, todos eles.

  5. Críticas negativas, com conteúdo, devem ser analisadas com cuidado.

    Críticas do tipo “não gostei” ou “o livro é um lixo” nada acrescentam ao autor e expressam apenas uma opinião. A crítica negativa importante é aquela que possui conteúdo, tipo “não gostei por que…”.

    O autor pode ou não concordar com os porquês, mas o importante é analisá-los, aliás, mais de uma vez, pois é comum, à primeira lida, descartarmos como se tudo fosse bobagem. Lembre-se, nem sempre é.

    Algumas vezes, podemos encontrar comentários que nos façam refletir e ver certos aspectos de nossa obra por ângulos diferentes. Saber lapidar tais críticas, reconhecer e aproveitar seus pontos positivos são parte integral do item 2.

  6. A ideia ou a concepção é fundamental, mas…

    Esse é o ponto de partida para qualquer trama. No entanto, tenha em mente de que a sua ideia nem sempre é original. Muitas vezes, inclusive, vários autores, de modo independente, têm ideias similares ao mesmo tempo. Mas essa nunca foi a questão básica.

    O importante é o que cada um fará com tal ideia. Lembre-se, uma ideia poderá dar origem a uma obra-prima ou a uma trama medíocre. Tudo dependerá de como cada um irá desenvolvê-la. Lembre-se, quanto mais marcante forem os itens 1 e 2, maiores serão as chances de transformar sua ideia em uma boa obra.

  7. Não tenha medo de errar, estudar e recomeçar.

    Seguramente, dói no coração, mas tem hora que aquelas vinte ou cinquenta páginas (ou mais!) devem ser descartadas. Item 3: seja profissional com você mesmo. Lembre-se que não apenas de Gramática ou Dicionários vive um autor.

    Por vezes, é necessário se recorrer a outros suportes, os quais, técnicos ou não, sempre envolvem as mais variadas leituras e pesquisas… e muita conversa, se necessário. Reiniciar não é perda de tempo; é tão apenas um procedimento, tão comum e importante como qualquer outro dentro desse extenso processo chamado livro.

Sobre o autor

Nelson Magrini é Engenheiro Mecânico, estudioso e pesquisador em Física, com ênfase em Mecânica Quântica e Cosmologia, professor e consultor de Gestão Empresarial e Cadeira Logística, exercendo carreira profissional no Brasil e no Mercosul.

Participou como Agente Cultural e de Cidadania, com a elaboração dos projetos Novos Autores Literários e Mobilidade Automotiva para Deficientes Físicos, e atualmente também atua como Agente Literário, prestando serviços de Revisão Ortográfica e Gramatical, Preparação de Texto (Copy Desk), Leitura Crítica e outros, a novos escritores e público em geral.

Processo Criativo: no Universo Insônia

Blog: www.nmagrini.blogspot.com.br

Facebook: www.facebook.com/nelson.magrini

Twitter: @NelsonMagrini

Skoob: sobre o autor

Veja a opinião de outros autores aqui e no Vida de Escritor!

* Projeto inspirado pela coluna “7 Things I’ve Learned So Far”, da revista Writer’s Digest.

Continue a escrever aqui.

Uma resposta para 7 coisas que aprendi – por Nelson Magrini

  1. Strega disse:

    Ótimas dicas; estou acompanhando cada postagem da série. Estou amando tudo.
    ^.^