Resenha: A Rainha da Primavera (e-Book)

PenaPena

Saiba antes de ler: não sou crítico literário nem detentor da verdade absoluta. O texto abaixo relata as impressões que tive após a leitura deste livro e não traz quaisquer revelações quanto ao enredo.

A Rainha da Primavera é um romance infantojuvenil da jovem escritora paranaense Karen Soarele. Disponibilizado gratuitamente como e-book (.PDF ou .EPUB) e à venda por impressão sob demanda, a obra é uma concisa introdução ao universo fantástico apresentado em Línguas de Fogo, primeiro trabalho publicado da autora.

O livro tem como público-alvo, principalmente, leitores na faixa etária entre 10 e 15 anos – na qual, obviamente, eu não me incluo já há um tempo razoável. A convite de Soarele, porém, arrisquei-me na leitura do e-book (mil vivas ao Kindle!). Ao fim das 87 páginas, porém, frustrei-me ao ver tantos elementos promissores desperdiçados.

Numa ilha que só pode ser encontrada a cada dez anos vive Flora, que há muito anseia por uma vida de aventuras. Quando um guerreiro de olhos rubros e mãos ensanguentadas e um velho de rosto deformado a encontram, seu desejo está prestes a ser realizar. Vindos de um reino ameaçado pela guerra, os dois forasteiros revelam a Flora o segredo de sua origem e a convocam a uma jornada por um mundo além dos confortos de seu lar ancestral.

A premissa de A Rainha da Primavera pode não soar completamente original, mas desperta o interesse. Infelizmente, a obra é prejudicada pelo tamanho, curto demais para possibilitar o desenvolvimento equilibrado de personagens, história e ambiente.

Em mais páginas, protagonistas e antagonistas poderiam ter suas personalidades exploradas com maior profundidade, eventos poderiam ser contextualizados e locais poderiam ser mais detalhados.

Nota-se no texto certo desapego aos detalhes. Em diversos momentos o leitor trava contato com aspectos instigantes do cenário, como a ilha que só pode ser visitada a cada década e seus misteriosos habitantes de pele cinza-esverdeada, uma Guerra Sem Fim, dádivas divinas, entre outros. Nada disso, porém, recebe mais do que descrições breves ou mesmo meras citações.

Em contrapartida, não se alongar em explicações pode ser parte da estratégia de introduzir novos leitores ao mundo de Línguas de Fogo, atraindo-os para o livro principal, onde estariam todos os detalhes não explorados. É uma atitude válida, mas incompreensível em um trabalho cuja proposta é, justamente, expandir esse universo ao contar uma história de seu passado.

Trata-se, ainda, de um risco que pode resultar em efeito contrário se os “ganchos” não forem bem trabalhados; e, novamente, o tamanho do livro dificulta tal tarefa. Todavia, esta questão nem incomodaria tanto se não prejudicasse também o enredo.

A narrativa poderia ter sido mais enriquecida se certos aspectos tivessem sido esmiuçados, como os eventos em torno do passado da protagonista e da sintonia que a torna tão especial aos dois forasteiros.

Por nunca terem os propósitos por trás de suas ações abordadas, os antagonistas também acabam diminuídos a figuras pouco complexas. Não há tons de cinza, tudo é preto e branco; é mau porque é mau, faz guerra por amor à guerra. Contudo, o que poderia soar inverossímil e imaturo numa literatura adulta ou jovem-adulta é aceitável em um infantojuvenil.

Narrando a história em terceira pessoa, Soarele apresenta uma escrita fluída e direta, como convém a esse tipo de obra. Em alguns momentos, porém, a autora tende a se repetir, talvez no intuito de reforçar ao leitor uma imagem ou sensação.

Senti falta de equilíbrio no ritmo da história, que ora se arrasta, ora acelera demais, por vezes até entregando muitas informações numa só tacada – certas revelações teriam maior impacto se não fossem feitas nos primeiros capítulos, por exemplo. A conclusão também se dá de forma muita abrupta.

A Rainha da Primavera é, enfim, uma inocente narrativa mais adequada ao público infantojuvenil. Aqueles que já conhecem o trabalho da autora em Línguas de Fogo, primeiro volume da série intitulada Crônicas de Myriade, tirarão maior proveito desse romance interessante, mas de potencial excessivamente limitado por seu tamanho.

Assim, eu concedo 2 penas-tinteiro (ou estrelas).

E esta é a humilde opinião de um escriba.

Em tempo: está prevista para este ano a publicação do segundo volume das Crônicas, ainda sem título definido. Já A Rainha da Primavera está disponível no blog da autora (veja o link abaixo).

Para saber mais:

  1. Karen Soarele: blog oficial onde é possível adquirir todos os livros da autora, inclusive a versão gratuita do e-book A Rainha da Primavera.
  2. Crônicas de Myríade: belo site oficial sobre as obras de Soarele.
  3. Wiki Myríade: coletânea de informações sobre o universo das Crônicas. Há aviso contra spoilers para os que ainda não leram os livros.
  4. Soarele no Novos Escritores: perfil da autora nesta rede social que integra colegas escritores.
  5. Soarele no YouTube: canal com dicas para escritores e vídeos diversos.
  6. Soarele no Twitter: siga-a e veja o que ela tem a dizer.
  7. Soarele no Skoob: veja as resenhas das obras  já publicadas pela autora e torne-se um fã na rede social de leitores.
  8. Soarele no Facebook: perfil da autora.

Continue a escrever aqui.

Os comentários estão desativados.