7 coisas que aprendi – por Alliah

Em uma iniciativa conjunta* entre os blogs Escriba Encapuzado e Vida de Escritor, T.K. Pereira e Alexandre Lobão convidam escritores para compartilharem suas experiências com os colegas de profissão, destacando sete coisas que aprenderam até hoje.  Não interessa se você é iniciante ou veterano, se escreve poesias, contos, romances ou biografias, envie sua contribuição para esta série de artigos!

Neste post, a reprodução da contribuição de Alliah, escritora publicada e artista visual.

Originalmente publicado no blog do autora.

  1. Não existe bloqueio criativo. Existe preguiça, impaciência, crise de ansiedade, TPM, falta de vontade, desconforto, café frio e fones de ouvido com defeito.

  2. A insônia pode ser a minha melhor amiga ou a minha pior inimiga. Depende da temperatura ambiente.

  3. Trabalhar com criação artística é viver o que você faz, 24 horas por dia, 7 dias por semana, sem pausas ou férias, sabendo que só vai descansar de fato quando tiver morto e enterrado.

  4. Tuítar uma ideia de sacanagem e levar a sério depois é sempre uma opção válida.

  5. Meus amigos imaginários são muito mais confiáveis que minha memória.

  6. Ler, ler e ler sempre, em qualquer mídia, plataforma, formato, gênero e cor.

  7. É saudável achar um equilíbrio entre compartilhar conhecimento, ideias e determinadas criações de graça, e saber vender e lucrar com seu trabalho.

Sobre a autora

Alliah nasceu em 1991 e desde então desenha e escreve compulsivamente. Aos 17 anos entrou para o curso de Biologia da UFRJ, querendo ser paleontóloga. Mas acabou largando a vontade de se tornar cientista. Depois, na mesma universidade, foi parar na Escola de Belas Artes, mas interrompeu a graduação em Educação Artística e agora está migrando para Pintura.

Inquieta, absorve e devora todo tipo de referência plástica, musical, interuniverso e translienígena que cruzar seu caminho. Resumidamente, é escritora e artista visual. Multiversalmente, é curiosa insaciável. Não sabe andar de bicicleta e tem medo de borboletas.

Colaborou para os sites Obvious, Contraversão e Páginas Noturnas e para os blogs d‘A Fantástica Literatura Queer e da Editora Draco.

– Texto Extraído do Blog do Autora

Veja a opinião de outros autores aqui e no Vida de Escritor!

* Projeto inspirado pela coluna “7 Things I’ve Learned So Far”, da revista Writer’s Digest.

Continue a escrever aqui.

3 respostas para 7 coisas que aprendi – por Alliah

  1. Concordo com a parte de que nunca descansamos… Quem decide escrever usa todo o seu repertório de vida pra isso.

    A dica número um é um surdão na orelha. Verdade das brabas.😀

  2. Dayla Assuky disse:

    Estou me concentrando na ultima dica, visto que escritores novos precisam ser conhecidos antes de buscar fama a seus livros.🙂