7 coisas que aprendi – por Laura Conrado

Em uma iniciativa conjunta* entre os blogs Escriba Encapuzado e Vida de Escritor, T.K. Pereira e Alexandre Lobão convidam escritores para compartilharem suas experiências com os colegas de profissão, destacando sete coisas que aprenderam até hoje. Não interessa se você é iniciante ou veterano, se escreve poesias, contos, romances ou biografias, envie sua contribuição para esta série de artigos!

Neste post, a contribuição da ganhadora do Prêmio Jovem Brasileiro 2012 e escritora publicada Laura Conrado.

  1. Ter autoestima no lugar.

    Publicar não te torna mais especial do que os outros. É um trabalho como outro qualquer, não há motivo para deslumbramento. A dica também vale para a turma de autoestima de menos. Nunca agradaremos a todos. Surgirão críticas, comparações e comentários maldosos até mesmo de quem nunca leu seu livro. Confiar no seu trabalho faz muita diferença nesses momentos.

  2. Personagem tem função.

    Personagens só aparecem no texto quando têm função. Nem que seja para inserirem outro personagem na trama! Elas atrasam ou aceleram a história, provocam emoções e nos contam algo.

  3. Dicionário de sinônimo.

    Nada como ampliar o vocabulário e enriquecer o texto. Ao revisar o texto, se atente as vezes que utiliza a mesma palavra. Ao invés de repetir as palavras num curto espaço de texto, coloque um sinônimo.

  4. Leia. Releia. Revise. E leia de novo.

    Todo processo humano tem erro. Com o livro não poderia ser diferente, infelizmente. Por mais que o livro passe por beta reader e pela revisão da Editora, é sempre bom passar um pente fino antes de dar a aprovação final para a impressão.

  5. O trabalho começa quando publica.

    Quando o livro chega às livrarias, a maior parte do trabalho se inicia. Não basta ser criativo ao escrever. Temos que ter boas ideias para divulgar a obra, falar com o público-alvo e tornar seu título conhecido.

  6. Relacionamento com a mídia é construído, temos que começá-lo. 

    Nem só de Best Seller se faz uma página de jornal. É possível conseguir espaço na mídia. Pode ser que no seu primeiro lançamento te coloquem apenas na agenda cultural do dia. Mas no seu segundo livro, já pode rolar uma entrevista. Pode ser que seu release não emplaque na semana que mandou, mas vai que surge uma pauta dias depois e seu livro se encaixa nela? Nada de vergonha. Tente mesmo.

  7. Empreender

    Por mais que escrever remeta à um universo onírico e artístico, ter um olhar coorporativo ajuda. Se for vender em seu site, aumentando a margem de lucro, coloque uma ferramenta de compras on-line, como o PagSeguro ou PayPal, possibilitando compras pelo cartão de crédito e com mais segurança.

    Você leva jeito para dar palestras? Elabore um material se divulgando entre promotores de eventos e feiras literárias. Pense na sua comunicação. Estou usando as mídias sociais de formas corretas? Há alguma forma privada dos meus leitores falarem comigo?

Sobre a autora

Mineira de Belo Horizonte, Laura Conrado desde criança sonhava em ser escritora. Incentivada pelos pais, ela participou de inúmeros concursos de redação. Prestou vestibular para Psicologia, mas optou pela Comunicação Social, uma vez que queria escrever.

Aos 21 anos, publicou seu primeiro livro Miguel e o Pão dos Anjos, que está na terceira edição. Em 2012, lançou o livro Lendo com o papai e a mamãe. Seu primeiro romance destinado ao público jovem Freud, me tira dessa! foi lançado em abril de 2012, pela Editora Novo Século.

Em outubro de 2012, Laura recebeu o Prêmio Jovem Brasileiro como destaque na Literatura. O segundo prêmio de sua carreira também veio com o livro Freud, me tira dessa!, eleito o melhor chick-lit nacional, pelo voto do público, no Destaques Literários 2012.

– Texto adaptado do blog da autora

Página Oficial: http://www.lauraconrado.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/laura.conrado

Twitter: @laura_conrado

Skoob: sobre a autora

You Tube: www.youtube.com/user/laurinhaconrado

Veja a opinião de outros autores aqui e no Vida de Escritor!

* Projeto inspirado pela coluna “7 Things I’ve Learned So Far”, da revista Writer’s Digest.

Continue a escrever aqui.

Uma resposta para 7 coisas que aprendi – por Laura Conrado

  1. isaac-sky disse:

    Adoro quando o pessoal dá dicas sobre depois de publicar o livro. ^^