NaNoWriMo: guia de sobrevivência

Esta semana começa a 15ª edição do National Novel Writing Month (NaNoWriMo), o evento cultural que desafia escritores de todo o mundo a escrever um livro em 30 dias. Para ajudar os bravos que participarão desta insana maratona literária, preparei um guia com dicas práticas e motivacionais.

Estes tópicos são frutos de empirismo, intuição e das recomendações de participantes muito mais experientes. Espero que este último artigo da série seja tão útil para outros novatos quanto foi para mim em 2012. Agora, vamos à obra porque em novembro tempo é palavra.

Organize-se

Converse com familiares e amigos: seu estado emocional terá enorme influência na história que escreverá, por isso assegure-se de que novembro seja um mês de serenidade. Explique a todos a sua volta que pelos próximos dias seu foco será o NaNoWriMo e que por esta razão você estará mais antissocial. Prepare-se: todos te acharão esquisito, poucos entenderão.

Controle seu progresso: anote seus totais diários de palavras, seja num bloco de notas, no site do evento ou em uma planilha. Estes dois últimos têm a vantagem de criar gráficos de previsão mais agradáveis e precisos. Nos links mais abaixo disponibilizo uma planilha (NaNoReportCard) criada por um americano que permite acompanhar níveis de moral, número de sessões de escrita e muito mais.

Tenha um caderno sempre à mão: ou um smartphone, tablet, netbook. Sempre tenha algo em que possa anotar ideias inesperadas para uma nova cena, personagem, evento na história. Não apenas isto: aproveite para aumentar o número de palavras enquanto espera na fila do ônibus ou do médico. Tanto melhor se for um caderno eletrônico, pois não terá que redigitar depois.

Não importa se físico ou virtual, o importante é ter um caderno à mão.

Esteja on-line: complementando a dica anterior, utilize ferramentas que te permitam trabalhar pela Internet. Com o Dropbox ou Google Drive pode-se acessar e manipular arquivos de vários tipos; o Evernote é um excelente acervo para notas e imagens rápidas; o Google Docs possibilita a edição de textos e planilhas.

Evite Internet e TV: séries e filmes, redes sociais, blogs, desligue tudo quando sentar-se para escrever. O ideal é evitar as duas vilãs ao menos até que sua meta diária seja atingida. Se tiver disciplina para voltar ao trabalho depois, acesse-as nos intervalos das sessões de escrita. Se estiver trabalhando on-line com as ferramentas acima, será preciso atenção redobrada.

Escreva

Defina metas e sessões: 1.667 palavras por dia é um mínimo aceitável, mas parece muito quando se tenta escrevê-las de uma só vez. Divida esta ou qualquer outra meta – escolha a que lhe for mais adequada, mas seja realista – em dois ou mais períodos de horas ao longo do dia. Evite obrigar-se a escrever tanto em uma única sessão, pois a ansiedade pode te bloquear.

“Ah, por hoje chega.”

Deixe um pouco para depois: aproveite os momentos de inspiração para ultrapassar sua meta diária, mas não esgote sua mente. Pare de escrever enquanto ainda tiver vontade de continuar ou correrá o risco de não aguentar sequer encarar a página no dia seguinte. Lembre-se: são 30 dias de abandono literário. Sempre se poupe para o amanhã.

Esqueça a linearidade: quando sua história parecer empacada, experimente saltar para algum momento futuro. Faça uma anotação sobre o que considera importante na cena problemática e a esqueça por um tempo. Lembre-se de que você pode retornar a ela nos dias seguintes ou até mesmo depois de concluído o NaNoWriMo, quando começam as fases de revisão do livro.

Não se prenda a um personagem: se a história é narrada por vários protagonistas, a exemplo dos livros da série Crônicas de Gelo e Fogo, do tio George R. R. Martin, alterne entre eles ao escrever, seja por não saber como prosseguir ou por estar cansando-se de um deles. Como a dica anterior, porém, isso funciona bem melhor quando se tem a trama toda planejada.

Foque nos diálogos e deixe os detalhes da cena para depois.

Faça os personagens falarem: sentiu que a narrativa está maçante ou o excesso de descrições o está incomodando? Coloque travessões (ou aspas, o que preferir) e faça seus personagens conversarem. Se eles trocarão amenidades ou revelarão segredos da trama depende do ponto em que a história se encontra. Foque no diálogo, deixe as descrições para mais tarde.

Inspire-se

Abra seus olhos: jamais subestime o poder das imagens. deviantART e InspireFirst são dois exemplos de redes sociais repletas de artes inspiradoras para escritores. O Pinterest também é uma ótima ferramenta: cadastre-se, crie quadros para projetos de livros específicos e adicione imagens que remetam a cenários, a personagens e a outros detalhes da história que escreverá.

Encha seus ouvidos: não é qualquer um que consegue escrever escutando música, mas se você é um destes poucos privilegiados, a seleção correta pode ajudar a entrar no clima de uma cena de suspense, terror, ação, aventura. Vale tudo, desde trilhas de jogos, séries e filmes ao repertório de bandas (famosas ou obscuras) de gêneros diversos.

Inspire-se com o trabalho de outros escritores.

Leia o que puder: livros, revistas, quadrinhos podem ser ótimas fontes de inspiração. Por outro lado, corre-se o risco de que os elementos das histórias dos outros autores se tornem muito evidentes na sua. Além disso, caso suas metas estejam atrasadas, talvez o melhor seja dedicar mais de seu tempo livre à escrita.

Pergunte ao Google: novembro é mês de produzir, não pesquisar. Às vezes, porém, pode ser interessante recorrer ao Senhor dos Sortilégios Digitais para sanar dúvidas breves ou buscar inspirações – por exemplo, para nomes de personagens (o 20.000 Names e o Behind the Name são boas sugestões). Mas se a busca exceder 30 minutos, então desista e siga em frente.

Motive-se

Escreva um diário: útil para ajudar a manter o foco, identificar dificuldades e conhecer melhor os próprios hábitos como escritor. Registre seu progresso, seus problemas, seus pensamentos, suas sensações. Despeje o que vier à cabeça naturalmente, mas seja objetivo. Anote também suas metas para os próximos dias, se isso te servir como motivação.

Escrever um diário durante o NaNoWriMo é como uma boa terapia.

Mime-se: recompense-se sempre que conseguir atingir ou superar a meta diária. Compre um chocolate, assista ao novo episódio de sua série favorita, beba uma taça de vinho, acesse suas redes sociais, vá à praia. Não se puna quando ficar abaixo do esperado ou deixar de escrever (sua consciência culpada já será castigo suficiente), mas lembre-se do que tal deslize te custou.

Acompanhe os colegas: fique de olho no progresso de outros participantes do NaNoWriMo, principalmente dos que já foram vencedores de edições passadas. Notar que mesmo eles, com seus anos de experiências, ainda enfrentam (e superam) dificuldades para escrever seus livros afasta qualquer desculpa esfarrapada para desistir.

Mantenha a bunda na cadeira: antes de sentar-se para escrever, vá ao banheiro, encha uma garrafinha de água, alongue-se, coloque o aviso de não perturbe na porta, desligue a Internet e o celular. Quando iniciar a sessão de escrita, fique ali até que o tempo preestabelecido desta se esgote. Não pense em mais nada além do texto. Deixe todo o resto pra depois.

Prepare tudo o que for precisar e evite tirar a bunda da cadeira.

Fique acordado: o maior desafio de escrever à noite é suportar o sono. Chocolates, xícaras de café ou outras bebidas energéticas (naturais ou não) sempre ajudam. Um ar condicionado ou banho mais frio também mantêm o corpo alerta. Quando o sono atacar no meio da sessão, experimente alongar ou mexer o corpo, escovar os dentes, enxaguar o rosto.

Eis as principais lições tiradas de minha participação no ano passado. Estas dicas são para se aplicar durante o mês de novembro. Nos demais artigos já publicados da série eu falei sobre a preparação nos meses que antecedem (e sucedem) o evento e também detalhei melhor alguns tópicos listados neste artigo.

Espero que meus textos tenham sido de alguma valia para o leitor e que o tenha inspirado. A todos os bravos que aceitaram o desafio eu desejo um ótimo NaNoWriMo 2013. E, por favor, não deixem de compartilhar por aqui como foi.

Para saber mais:

  1. NaNoWriMo: 30 dias para escrever um livro – saiba mais sobre o evento no primeiro artigo da série sobre o evento.
  2. NaNoWriMo: as críticas e o valor do desafio – saiba porque o evento é visto com desconfiança por escritores e demais profissionais do mercado editorial.
  3. NaNoWriMo: como escrevi um livro em 30 dias – onde detalho minha participação no evento em 2012.
  4. NaNoWriMo: diário de escrita – onde falo sobre valor de se manter um diário e compartilho o meu próprio.
  5. NaNoReportCard2010: planilha de controle em duas versões do Microsoft Office Excel para uso no NaNoWriMo; infelizmente, perdi a referência da fonte (em inglês).
  6. Escriba no Pinterest: exemplo de como imagens podem ajudar a desenvolver novas ideias para suas histórias.
  7. National Novel Writing Month: página oficial do evento. Acesse, informe-se e participe do desafio!
  8. Especial NaNoWriMo: o blog Novas Memórias de Ivan Bittencourt também está com uma série de posts sobre o evento. Confiram.

Continue a escrever aqui.

3 respostas para NaNoWriMo: guia de sobrevivência

  1. Anilto disse:

    Já está rolando a aventura. Para documentar minha participação, eu programei um site específico.

    http://nanowrimo.anilto.info/

    Lá colocarei o resultado do trabalho, o planejamento e o dia-a-dia da maratona…

  2. Andy Lima disse:

    Eu não estava sabendo desse evento cultural, mas que dicas valiosas, muito boas mesmo.

    Algumas delas servem até mesmo para quem quer escrever algo além do concurso!

    Já até favoritei o blog aqui!